terça-feira, 3 de outubro de 2017

Em seus olhos o amor pela vida, em seu corpo o pelo vício. 
Querido, somos dois desesperados de bom coração. 
Perdas são a forma terrível que a vida tem
de nos fazer voltar a procurar por nós mesmos,
e não por quem somos com os outros. 
As vezes temos momentos de encontros
ainda não plenos, 
quando estes plenos forem
o horizonte de mar e céu vibrará nossa voz. 
Nosso corpo dançará sem pudor, 
nossa luz alegrará a todos os que passam, 
e aos que ficam
os sonhos serão canções reais. 
Quando encontrarmos a nós mesmos, 
aí abraçaremos as nuvens 
e correremos sobre as águas
Aí seremos liberdade
e tanto meus olhos viciados, quanto meu corpo amante
verão o novo

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Acredito na comida cozida
no bom dia ao vizinho
no chão que pisei e piso
descalço
Mas por percalço
acredito também
no que acredita minha avó
acredito também
no que acredita quem dói
quem corrói e desnuda
quem assopra e quem ajuda
acredito na crença
e no fim o que acredito
se junta ao que acredita
e tudo vira uma cidade só


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Correndo se chega ontem

De tanta pressa
trupiquei em mim
e caí na infância

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Sinceramente;
onde posso deixar meus botões,
se teus borrões
mancham-me de lágrimas?

onde é que posso dizer que sim,
se para mim
o amor só
basta?

domingo, 19 de junho de 2016

(Das breguices do) Amanhecer

Como a luz chega de mansinho
pintando a escuridão
Eu caminho devagarinho
clareando meu coração

domingo, 12 de junho de 2016

As juras livres do namorar eterno
foram esquecidas sem pestanejo
foram guardadas em bolso furado
em carteira perdida
em roupas tiradas e atiradas
pelos jardins do ego

segunda-feira, 25 de abril de 2016

A Busca

A verdade encontra-se isenta de mim
e os poços de achismos rodeiam a tudo
Eu queria a verdade
tocá-la
contá-la como um velho nostálgico aos netos
Mas que obrigação a verdade tem comigo?
nenhuma
Eu é quem preciso alcançá-la
ela jamais voltará seus passos para me acompanhar
ela jamais me esperará
Porque se não a encontro
É porque não sei o caminho